No ar desde 15/02/2000 - Obrigado pela sua visita -


Agenda
Amigos Virtuais
Aniversário
Balcão de Empregos
Cartão Postal
Charadas
Classificados
Clientes
Colunistas
Curiosidades
Eleições
Enigmas
Eventos
Fotos
Guia Eletrônico
Ilusão de Ótica
Livraria Papa-Siri
Mágicas
Noticias
Piadas/Lazer
Receitas

Fale conosco
 
 
 
 


 

Divirta-se, diariamente novas piadas para você !!

Pesquisa do IBGE
Uma pesquisadora do IBGE bate à porta de um sitiozinho perdido no interior.
- Essa terra dá mandioca?
- Não, senhora - responde o capiau.
- Dá batata?
- Também não, senhora!
- Dá feijão?
- Nunca deu!
- Arroz?
- De jeito nenhum!
- Milho?
- Nem brincando!
- Quer dizer que por aqui não adianta plantar nada?
- Ah! Se plantar é diferente...

 

Técnicas Avançadas de Administração aplicadas à atividade de  restaurantes...

    Procura-se um garçom com colher no bolso.....
Maldita colher...
  Semana passada convidei uns amigos para almoçar em um restaurante próximo  ao   escritório. Logo que chegamos, reparei que o garçom que nos atendia levava   uma colher no bolso da camisa. Achei aquilo esquisito, mas interpretei
como   um fato casual. No entanto, quando o encarregado da mesa começou a nos   servir, notei que ele também tinha uma colher no bolso da camisa.
Olhei em   volta no salao e percebi que todos os garçons, garçonetes e atendentes   levavam uma colher no bolso da camisa. Quando nosso garçom voltou para   anotar o pedido, perguntei:
  - Porque a colher?
  - Bom, os donos do restaurante contrataram a Andersen consulting experts em   eficiência, com o objetivo de revisar e melhorar nosso sistema de trabalho.-
  disse o garçom. Após meses de análises, os consultores constataram que os   clientes deixavam cair no chao a colher com 73% mais frequência que os outros talheres. Segundo eles, sao três quedas de colher/hora/mesa.
Eles concluíram entao que se o nosso pessoal ficasse preparado para cobrir essa   contingência, poderíamos reduzir o numero de viagens à cozinha ,assim, poupar mais de 1,5 horas de trabalho por homem/turno.
No momento em que falávamos, escutou-se um som metálico na mesa ao   lado.Rapidamente o garçom que nos atendia trocou a colher pela que levava no   bolso e, voltando à nossa mesa, me disse:
  - Pegarei outra colher quando for à cozinha, assim nao farei uma viagem   extra para buscá-la agora.
  Meus amigos e eu ficamos realmente muito impressionados. Enquanto os outros   faziam seus pedidos, continuei observando ao meu redor. Foi quando percebi   uma cordinha fina pendurada no zíper da calca dos garçons. Antes
do garçom   se retirar perguntei:
  -. Desculpe, mas...porque tem essa cordinha justo aí?
  -. Ah sim! - respondeu ele baixando o tom de voz - Nao tem muitas pessoas   tao observadoras quanto o senhor. Essa firma de consultoria achou que nós   também poderíamos poupar tempo na ida ao banheiro...
  -. Como assim?
  -. Veja bem: amarrando esta cordinha na ponta do.... bem, o senhor já sabe,   podemos sacá-lo para urinar sem usar as maos e, dessa forma, eliminar a   necessidade de lavar as maos. Com isso, economizamos o tempo gasto no   banheiro em 37% por homem/turno.
  -. Faz sentido, mas se a cordinha ajuda a por pra fora, como é que vocês
  fazem para guardar ele de volta?
  - Bem, nao sei como fazem os outros, mas eu uso a colher.

 

LÓGICA FEMININA

Mulher deitada, lendo um livro, no barco de pesca do marido. Aproxima-se um barco da fiscalização de pesca, e o fiscal pergunta o que ela  está fazendo ali.
"Lendo um livro", responde ela.
O fiscal a informa que ela está numa área proibida para pesca. A mulher protesta e diz que não está pescando.
- Mas a senhora possui todo o equipamento. Eu terei que apreendê-lo e multá-la.
A mulher muito brava revida:
- Se o senhor fizer isso, irei processá-lo por estupro. Chocado com a afirmação da senhora ele responde:
- Mas eu nem sequer a toquei. E a mulher:
- Mas o senhor possui todo o equipamento.

 

Joãozinho e o pai estão passeando na rua. Eles passam por uma casa esquisita, com janelas fechadas por cortinas vermelhas, luminosos na entrada, etc...
- Papai - pergunta Joãozinho - O que é essa casa?
O pai, meio sem jeito, responde:
- É uma casa onde as pessoas gastam seu dinheiro... Mas você é muito novo para eu te explicar. Quando você crescer você vai saber o que é.
- Vamos continuar o passeio.
De volta à casa dele, Joãozinho não resiste: aproveitando uma distração do pai, ele pega uma nota de 100 na carteira dele e sai de fininho.
Alguns minutos depois ele está na recepção da casa estranha. Uma moça em trajes dumários está atrás de uma mesa.
- Olha dona - diz Joãozinho - Tenho aqui uma nota de 100 e quero tudo que tenho direito!
A moça, espantada, pede para esperar um instante. Ela vai num quarto nos fundos onde está a cafetina.
- Suzana - diz ela à cafetina - tem um garoto na recepção. Ele me deu uma nota de 100 e disse que queria o que tem direito. O que é que eu faço?
- Deve ser uma brincadeira dos amiguinhos dele - sugere a cafetina.
Você lembra das panquecas de ontém? Dá uma aquecida nelas no microondas, dê para ele e devolve 95 paus. Ele vai ficar satisfeito e irá embora.
Achando graça, a moça faz o que a patroa dela mandou...
De volta para casa, Joãozinho encontra seu pai furioso. Ele está procurando pela casa toda onde foi parar a nota de 100.
- Joãozinho! Onde você estava?
- Eu fui naquela casa que nós vimos hoje de manhã, papai.
O pai, preocupado e temendo o pior pela inocência do filhinho, diz:
- E o que você fez naquela casa?
- Papai, foi ótimo! Que serviço! Dei a nota de 100, me devolveram 95. Me deram 8. Comi quatro lá mesmo e comi as outras quatro na calçada!

 


 




© inaugurado em 15/02/2000. Todos os direitos reservados. - Itajai On Line