No ar desde 15/02/2000 - Obrigado pela sua visita -


Agenda
Amigos Virtuais
Aniversário
Balcão de Empregos
Cartão Postal
Charadas
Classificados
Clientes
Colunistas
Curiosidades
Eleições
Enigmas
Eventos
Fotos
Guia Eletrônico
Ilusão de Ótica
Livraria Papa-Siri
Mágicas
Noticias
Piadas/Lazer
Receitas

Fale conosco
 
 
 
 


 

Divirta-se, diariamente novas piadas para você !!

No Coliseu
Roma antiga, 2 mil anos atrás.
Joaquim está empunhando uma adaga curta, no centro da arena, no Coliseu, aguardando o seu adversário.
Ao toque das trombetas, entra um enorme leão.
Ao ver aquilo, Joaquim começou a correr desesperadamente em volta da arena. Correu... correu... correu... 5 voltas completas... e o leão só olhando.
Quando parou para descansar, o leão partiu à toda em sua direção, mas ele nem se mexeu.
- Corre! O leão vai te pegar! - gritou alguém na platéia.
- Não se preocupe, ó gajo! Estou 5 voltas na frente do bichano!

Paixão Indígena
No velho oeste, um índio apareceu diante de um fazendeiro e declarou:
- Mim, Urso Branco, querer mão de sua filha!
- Era só o que me faltava - pensou o fazendeiro.
E disse:
- Para casar com minha filha tem de ter dinheiro... muito dinheiro...
- Índio tem! Índio tem! - respondeu ele batendo fortemente no peito.
- Para casar com minha filha tem de ter terras... muitas terras...
- Índio tem! Índio tem!
- Para casar com minha filha tem de ter um cacete de quarenta centímetros!
- Índio corta! Índio corta!
   
 

O matuto leva um amigo pra passar o fim de semana na fazenda onde nasceu e conta, todo saudoso:
- Ta vendo, foi naquela casinha que eu nasci! Neste pomar aprendi as coisas
da vida. Foi embaixo daquela árvore, daquela mangueira enorme, que transei
pela primeira vez. Eta trem danado de bom! Me lembro como se fosse hoje!
- E cê lembra o que foi que ela disse?
- Bééééééé!!!

 

Era uma vez um pardalzinho que odiava ter que voar para o sul por causa do
inverno. Ficava tão apavorado com a idéia de deixar seu lar, que decidiu
adiar a viagem até o último momento possível. Depois de se despedir carinhosamente dos seus amigos pardais que partiram, voltou ao ninho e ficou por lá ainda umas duas semanas.
Finalmente, o tempo se tornou tão desesperadamente frio, que ele não teve mais dúvidas, partiu e iniciou o seu vôo rumo ao sul. Só que começou a chover, rapidamente começou a formar gelo nas suas asas. Quase morto de frio
e exaustão, foi perdendo altura e caiu por terra no pátio de uma estrebaria. Quando estava exalando o que pensava ser seu último suspiro, veio um cavalo e cobriu o pardalzinho de merda.A princípio, o pardalzinho não podia pensar
noutra coisa, a não ser naquele modo horrível de morrer, todo cagado. Porém, quando a merda começou a subir e penetrar nas suas penas, aquela passou a aquecê-la e a vida começou a voltar a seu corpo. Ele descobriu que tinha
espaço suficiente pararespirar. Subitamente o pardalzinho sentiu-se feliz e começou a cantar. Naquele instante, um gato entrou na estrebaria, ouviu o gorjeio do passarinho, remexeu no monte de merda para descobrir de onde
vinha o som. O gato descobriu a ave e a comeu. Essa história tem três ensinamentos morais:
1) Nem sempre quem caga em cima de você é seu inimigo.
2) Nem sempre quem tira você da merda é seu amigo.
3) Desde que você se sinta quente e confortável, mesmo que seja num monte
de merda, conserve o bico fechado.

 


 




© inaugurado em 15/02/2000. Todos os direitos reservados. - Itajai On Line