No ar desde 15/02/2000 - Obrigado pela sua visita -


Agenda
Amigos Virtuais
Aniversário
Balcão de Empregos
Cartão Postal
Charadas
Classificados
Clientes
Colunistas
Curiosidades
Eleições
Enigmas
Eventos
Fotos
Guia Eletrônico
Ilusão de Ótica
Livraria Papa-Siri
Mágicas
Noticias
Piadas/Lazer
Receitas

Fale conosco
 
 
 
 


Itajaí On Line

 



Meninos

O que é a puberdade?

A puberdade é a época de transição entre a infância e a adolescência, em que ocorrem várias mudanças no corpo. Cada pessoa tem um ritmo de desenvolvimento próprio. Em alguns rapazes, a puberdade começa aos 11 ou 12 anos. Em outros, só mais tarde, o que é normal. Os hormônios sexuais são os grandes responsáveis pelas transformações dessa fase.

Primeiro, o adolescente começa a crescer mais rápido e a desenvolver maior massa muscular. Depois, a voz fica mais grossa e os pêlos aparecem nas axilas, na região genital e nas pernas. As espinhas dão sinal de vida e o cheiro do suor fica mais forte. Tudo isso é desencadeado porque as glândulas sexuais masculinas, os testículos, produzem mais hormônio. O pênis fica maior, os testículos também aumentam e daí, surpresa: aparece o esperma. É uma seqüência de transformações.

Em que época os pêlos começam a aparecer?

Cada um tem seu próprio ritmo de desenvolvimento, portanto não adianta querer ficar se comparando muito com os colegas. Durante a puberdade (fase em que nosso corpo se prepara para a idade adulta) é absolutamente normal os pêlos aparecerem antes na região pubiana (próxima ao pênis) para depois darem sinal de vida em outras partes do corpo, como axilas e peito.

É bom lembrar que cada um vai ter uma quantidade diferente de pêlos no futuro. Uns vão ter mais, outros menos. Isso tem relação com a carga de informações genéticas herdadas dos pais. Olhando os homens mais velhos da família, cada garoto pode ter, em geral, uma idéia da quantidade de pêlos que vai ter no corpo quando for adulto.

Por que alguns garotos têm mamilos maiores?

Em alguns garotos, na puberdade, isso acontece pelo estímulo dos hormônios sexuais sobre o tecido que fica logo abaixo dos mamilos. Alguns garotos podem até mesmo desenvolver uma espécie de caroço no peito. Pode haver regressão espontânea (volta à forma anterior) dos mamilos com o passar dos anos. Se o problema incomoda muito e não está havendo melhora, uma pequena cirurgia plástica pode resolver a situação.

O que é o orgasmo?

O orgasmo é uma sensação gostosa de prazer que vem acompanhada de uma contração rítmica dos músculos da região genital (do pênis, do ânus e da vagina). Para alcançar o orgasmo é preciso uma combinação entre o físico e o emocional. As sensações têm que ser boas e a cabeça tem que estar ajudando.

Quando o garoto começa a ser capaz de atingir o orgasmo, o melhor é maneirar um pouco na dose da masturbação. Não existe nenhum limite fixado. No entanto, o corpo e o pênis é que devem servir de termômetro. Se o pênis ficar meio machucado, inchado ou doído é melhor dar um tempo até que ele esteja pronto para a próxima.

Quando ocorre a primeira ejaculação?

Não existe hora marcada para as transformações que acontecem com o corpo na adolescência. Um garoto pode começar a gozar com 12 e outro absolutamente normal pode "inaugurar" o seu esperma com 13, 14 ou até 15. A produção do esperma é uma das últimas transformações que acontecem com o garoto na puberdade, fase que prepara o corpo para a vida adulta. É uma seqüência de transformações. Não dá para gozar sem ter passado pelas outras etapas.

que é o esperma?

O esperma é formado por uma "coleção" de líquidos, além dos espermatozóides (células reprodutivas). São substâncias produzidas em estruturas "vizinhas" aos testículos, como a próstata e as vesículas seminais. Essas substâncias têm várias funções. Elas nutrem os espermatozóides e ajudam na ultrapassagem de obstáculos que eles devem enfrentar quando tentam fecundar um óvulo.

O aspecto final do esperma depende da combinação desses vários componentes e pode variar em algumas situações. Por exemplo, se o homem se masturba com mais freqüência, o esperma pode ficar mais líquido e mais claro. Se fica mais tempo sem se masturbar, o esperma pode ficar mais grosso, mais consistente. Essas variações são normais.

Qual a quantidade normal de esperma ejaculado?

O volume médio do ejaculado humano é de 3 ml. E esse valor pode oscilar de 2 ml a 6 ml sem que exista qualquer problema. Muito garoto vê filme pornô e acha que ejacula pouco. Besteira! Nas produções de filmes pornográficos, sempre existem muitas montagens e edições. É lógico que chama muito mais a atenção do público quando um ator ejacula um "balde" de esperma. Mas é tudo truque.

A quantidade de esperma que é eliminada na ejaculação depende da freqüência das masturbações e do grau de excitação que a pessoa consegue atingir. Assim, quem se masturba, por exemplo, três vezes em seguida, vai ter, provavelmente, menos esperma na terceira ejaculação do que na primeira. Se a pessoa "descansa" algumas horas, os líquidos e os espermatozóides são repostos e o volume do esperma volta a aumentar. A quantidade de esperma também varia com o grau de excitação. Assim, quanto maior o tesão, maior a quantidade de esperma ejaculado.

É comum gozar com pouco ou sem esperma?

Normalmente o orgasmo (o momento do "gozo") vem acompanhado da saída de esperma pelo pênis. Só que, na faixa dos 11 aos 15 anos, pode acontecer que o corpo ainda não esteja produzindo o esperma. Nada para se preocupar. Mais cedo ou mais tarde, ele acaba aparecendo. Logo após a primeira ejaculação, o esperma ainda está "amadurecendo". No começo é normal que só saia pouco líquido. Às vezes, nem tem espermatozóide ainda no líquido.

Com o tempo, a quantidade desses líquidos aumenta e os espermatozóides começam a ser produzidos pelos testículos. Aí, além de sair um pouco de líquido durante a masturbação, há uma contração muscular mais forte e a liberação de uma quantidade de esperma no momento do orgasmo (quando o garoto goza). Como o esperma é liberado sob alguma pressão, ele acaba indo para longe do pênis.

É normal não gozar com a namorada e gozar durante o sono?

O fato de não conseguir ejacular durante a transa com a namorada e alcançar o orgasmo durante o sono indica um problema de ordem mais emocional. Quando as ansiedades diminuem (durante o sono), as fantasias são vividas com mais intensidade, o que pode levar ao orgasmo e à ejaculação. Portanto, o "maquinário" está OK.

A preocupação exagerada com o desempenho durante a transa pode estar criando uma certa ansiedade e isso pode impedir a ejaculação. O melhor, nesse caso, é consultar um especialista (urologista ou terapeuta).

O que é o líquido que sai do pênis antes de gozar?

Não há nenhum problema com aquela melequinha transparente e viscosa que pode sair do pênis quando se está excitado. Ela é produzida por glândulas que estão no caminho da via de saída dos espermatozóides, quando o garoto está com tesão. O aparecimento desse líquido não tem nada a ver com ejaculação precoce.

O que é ejaculação precoce?

Quando um garoto goza muito rápido ele pode ter ejaculação precoce. No começo da vida sexual muitos meninos têm essa dificuldade. Com o tempo e a prática, a situação tende a melhorar. A principal causa da ejaculação precoce é a ansiedade. A intimidade pode reduzir a ansiedade. Brincar também é um recurso muito legal.

Em vez de partir logo para a penetração, que tal brincar, descontrair mais, inventar outras formas de chegar ao prazer? Isso talvez tire a responsabilidade de ter que gozar na hora certa durante a transa. Com o tempo, a prática e o controle sobre as brincadeiras podem se transformar em um maior controle durante a transa. Se isso não acontecer, vale a pena procurar um médico que pode programar um tratamento mais específico.

Quais as causas da ejaculação precoce?

Em quase 99% das vezes, a ejaculação precoce é um problema de causa emocional. É medo, ansiedade, pressa, insegurança, desconhecimento de como a parceira funciona, tesão acumulado, etc. É só com muita paciência, papo e até com a ajuda de um profissional especializado que o emocional pode começar a ser trabalhado para superar essas dificuldades.

Um terapeuta (psicólogo ou psiquiatra) pode ajudar você a perceber o que é que se passa na sua cabeça, no momento da transa, que precisa ser resolvido com tanta pressa. Só que terapia pode levar muito tempo.

Às vezes, o uso de um remédio pode ajudar a passar pelas primeiras transas com mais calma. Mas sem considerar que há um componente emocional em toda essa história (que deve ser trabalhado), os progressos são apenas temporários.

Masturbação causa da ejaculação precoce?

Masturbação não faz ninguém ficar com ejaculação precoce. As causas mais comuns da ejaculação precoce são mesmo a ansiedade, o medo de um desempenho sexual insatisfatório e a falta de "intimidade" com o próprio corpo e com o corpo da parceira. A masturbação faz parte do desenvolvimento sexual dos garotos e das garotas. Todo mundo se masturba em algum momento da vida. Aprender a controlar o próprio prazer é uma ferramenta importante para uma vida sexual satisfatória.

Eu gozo muito rápido. Tenho ejaculação precoce?


Gozar rápido nem sempre é sinal de ejaculação precoce. Os médicos costumam definir o problema quando a ejaculação chega antes da satisfação sexual. Segundo o urologista Ricardo de La Roca, algumas literaturas médicas indicam que o tempo médio de uma relação sexual dura por volta de oito a dez minutos. Em pessoas com ejaculação precoce, esse tempo varia de dois a três minutos.

Entretanto, o médico concorda que se, para alguns, três minutos é muito pouco, para outros pode ser suficiente. "O que determina o tempo da ejaculação é o estado emocional da pessoa", afirma o especialista. "É normal que em situação de maior tesão, a ejaculação chegue mais rápida", complementa.

Gozar antes de transar também é ejaculação precoce?

A ejaculação precoce ("gozar" antes do tempo) não acontece só durante uma transa. O garoto pode ejacular depois de ter ficado com a garota por uns míseros minutos. Tem gente que ejacula só de imaginar que está com alguma garota. Nos casos mais intensos, o homem pode ejacular antes mesmo de ter tido uma ereção. Uma das questões mais intrigantes é que, na imensa maioria das vezes, não existe nenhum problema físico ou hormonal que justifique a ejaculação precoce.

Em geral, a causa do problema é mesmo uma dificuldade emocional ou a ansiedade. E a situação funciona como um ciclo vicioso. Quanto mais precoce for a ejaculação, mais ansioso o garoto fica antes da próxima relação e maiores são as chances de ele ter um novo episódio de ejaculação precoce. Para quebrar esse ciclo, a ajuda de um profissional (terapeuta) pode ser bastante importante.

Quando começar a se preocupar?


Quem já não se sentiu frustrado naqueles dias de maior tesão em que as coisas acabam muito antes do que se esperava? Vez ou outra é perdoável. Problema mesmo é quando a situação começa a se prolongar. Para o psiquiatra Alexandre Saadeh, o homem deve procurar ajuda quando começar a sentir prejudicado. "Algumas vezes, a ansiedade é tanta que nem mesmo na masturbação se tem controle sobre a ejaculação", diz o médico. "Nesse caso, a ajuda de um especialista é fundamental", complementa.

Como tratar a ejaculação precoce?

Esqueça os cremes e camisinhas "especiais" vendidos em sex-shops, anestésicos ou qualquer outro milagre que possam lhe oferecer. O controle da ejaculação depende mesmo é da sua cabeça. O primeiro passo para resolver o problema é procurar um urologista ou terapeuta de confiança. "Nós fazemos uma avaliação junto ao casal", diz o psiquiatra Alexandre Saadeh. "Então, dependendo do caso, nós partimos para a psicoterapia, recomendamos exercícios e, se necessário, receitamos medicamentos", explica o médico. Quer dizer que existe remédio para tratar a ejaculação precoce? Sim, mas são drogas que não atuam diretamente no controle da ejaculação. "Um dos efeitos colaterais dos anti-depressivos é a diminuição da libido. Por isso, nós usamos esses medicamentos para diminuir a ansiedade sexual, consequentemente, retardando a ejaculação", explica o especialista.

Existe alguma "técnica" para retardar a ejaculação?


Você já deve ter ouvido falar de centenas de técnicas mirabolantes para controlar a ejaculação. Mas sempre pinta o medo de ser mais uma daquelas furadas. Só que os médicos realmente recomendam alguns exercícios. O urologista Ricardo de La Roca, por exemplo, estimula os pacientes a "brincarem" com o próprio corpo e o da parceira. "Eu indico um exercício que dura quatro semanas. Na primeira, o homem estimula a mulher e a toca, sem que ocorra penetração e sem que ele ejacule. Na segunda, se trocam os papéis. As mulheres estimulam o homem. Na terceira semana, as carícias são retribuídas entre o homem e a mulher, mas ainda sem penetração. Por fim, na quarta semana, o casal já pode partir para a relação sexual normal". O especialista explica que é um exercício para que o homem aprenda a controlar a ansiedade.

Mas é claro que essa é só uma idéia. Cada um pode adaptá-la à própria maneira. Para os adolescentes, a masturbação é uma prática que pode ajudar muito a controlar a ejaculação. Isso porque o garoto faz experimentações com o próprio corpo e vai aprendendo a lidar com os seus limites.

Existe cirurgia para a ejaculação precoce?

Na grande maioria dos casos, a ejaculação precoce tem causas emocionais. Portanto, não há uma cirurgia específica para essa disfunção. Alguns médicos discutem se a cirurgia de fimose poderia ajudar no controle da ejaculação precoce. Quando se retira parte do prepúcio (pele que recobre a glande ou "cabeça" do pênis), há uma diminuição da sensibilidade da glande, que talvez pudesse "resistir" mais no momento do ato sexual. Há outras técnicas de cirurgia que procuram aumentar o tempo entre o início do estímulo sexual e o momento da ejaculação. Mas, de novo, não dá para deixar o emocional de lado.

É comum ter ereção mesmo sem querer?

Uma parte dos mecanismos que levam à ereção é involuntária (ou seja, não se pode controlar). Assim, a ereção pode acontecer de forma espontânea, sem que se esteja pensando ou vendo coisas que excitem.. Isso é muito mais comum na adolescência, quando o corpo ainda está "acertando" o funcionamento da resposta sexual.

As mudanças corporais (que acontecem nessa fase da vida) e a maior produção de hormônios sexuais têm influência sobre essas ereções. O garoto tem de se acostumar com elas e aprender a disfarçar um pouco nessas situações. Com a idade e o amadurecimento do corpo, esse tipo de situação diminui bastante. Daí, vai ser mais fácil ter controle sobre as manifestações do pênis.

Porém, mesmo na vida adulta, o homem continua a ter ereções "involuntárias" durante o sono e, muitas vezes, logo quando acorda pela manhã.

que acontece com o pênis na ereção?

O pênis é formado por estruturas que lembram esponjas (corpos cavernosos). Essas "esponjas" se enchem de sangue durante a ereção e fazem o pênis aumentar de volume (crescer e engrossar). Esse sangue fica "represado"' dentro do pênis enquanto o homem está excitado. Quando o tesão passa, há um relaxamento e o sangue volta para a circulação.

Assim, o pênis volta a "encolher". Esse "encolhimento" pode acontecer de formas diferentes. Alguns homens ficam com o pênis "mole" um pouco maior e outros ficam com o pênis menor. Essa variação que existe na retração dos tecidos do pênis é totalmente normal.

É normal não conseguir a penetração da primeira vez?

É normal não conseguir penetrar na primeira transa. A ansiedade da primeira vez atrapalha mesmo. O negócio é continuar tentando. A experiência vai acabar fazendo com que o casal, junto, dê conta do recado. Mas o que pode acontecer propriamente? Após a colocação da camisinha, o pênis pode perder a ereção. Isso acontece com todo mundo que fica meio ansioso. O negócio é relaxar, voltar às carícias e quando a ereção pintar novamente, tentar uma nova penetração.

Às vezes, por falta de experiência, o casal ainda não sabe as melhores posições para a penetração. Não há uma única posição possível. A solução é ir tentando novos "arranjos". Outra dica é o uso de um gel à base de água. Esse produto pode ajudar muito nas primeiras penetrações. É vendido em farmácias, ao lado das camisinhas.

E, para finalizar, é preciso saber se a garota está relaxada. Porque, se ela estiver muito tensa, a vagina não se dilata e nem se lubrifica, o que torna a penetração mais complicada. Aí, conversa, carinho e calma são o melhor remédio.

Quais são as causas da impotência?

Na adolescência, a maior parte das causas de impotência tem pelo menos um componente emocional. É ansiedade de que as coisas não vão dar certo, é medo de não saber bem como fazer, é crise com a namorada, todas essas coisas que fazem parte de um processo normal de crescimento e aprendizagem.

Algumas pessoas têm mesmo um tipo de impotência (os médicos preferem o termo disfunção erétil), cuja causa é física ou orgânica. As principais causas são diabetes, hipertensão arterial, cigarros fumados por muitos anos, uso de algumas medicações, e até pequenos "defeitos" na anatomia dos vasos sangüíneos que irrigam a região do pênis. Só que todos esses problemas enumerados acima acontecem, em geral, em pessoas com mais idade (vamos dizer, a partir dos 65 ou 70 anos).

O que fazer se o garoto for impotente?

Quando o garoto começa a pensar que está impotente, há três perguntas que ele deve se fazer:

a) Tem ereção normal quando se masturba?
b) Acorda muitas manhãs com uma ereção?
c) Tem ereção quando pensa em sexo ou quando vê uma revista ou um vídeo pornô?

Se a resposta para essas perguntas for sim, é quase certo que a dificuldade em manter uma ereção na transa tem muito mais a ver com as emoções do que com problemas físicos. Aliás, na adolescência, dificuldades em manter a ereção são, na maioria absoluta das vezes, causadas por problemas da cabeça e, não do corpo. O negócio é relaxar e respeitar mais essa fase de aprendizado, até se sentir maduro o suficiente para transar com menos ansiedade. Se mesmo assim ainda continuar na dúvida, vale a pena procurar um médico.

Fimose? O que é isso?


Fimose é um estreitamento no orifício de saída do prepúcio (pele que recobre o pênis), que acaba dificultando ou impossibilitando a exposição da glande (cabeça do pênis).O urologista Jorge Fragoso explica: "Na fimose, existe um anel de fibrose no prepúcio que enrijece a pele e impede a exposição da glande, mesmo com o pênis em ereção".

Quem tem fimose pode ter mais dificuldades para limpar a glande e corre maiores riscos de infecção. Às vezes, a fimose pode causar dor durante a relação sexual, mas em geral ela não impede que o homem possa fazer sexo.

Quando um menino tem fimose, os médicos geralmente indicam a circuncisão. Mas não pense que esse é um problema exclusivo de crianças. "Já operei desde recém-nascidos até homens de 45 anos", disse o urologista Antônio Otero Gil. Portanto, se você tem fimose, mas não procura um médico porque acha que já passou da idade, está na hora de deixar a vergonha de lado.

Como é a cirurgia de fimose?

A cirurgia é simples. Ela é feita em nível ambulatorial ou com internações hospitalares rápidas e a pessoa pode voltar para casa algumas horas depois de terminado o procedimento. Um cirurgião geral ou um urologista estão habilitados para fazer essa operação. A anestesia é local. O médico faz um pequeno corte no prepúcio e deixa a glande exposta. Alguns pontos são necessários.

A recuperação é rápida e, em algumas semanas, o garoto já está pronto para voltar "à ativa". Os médicos recomendam um período de abstinência sexual (sem masturbação nem transas) até que o local esteja bem cicatrizado. Isso pode levar de quinze a trinta dias.

Quem precisa fazer a operação?


A cirurgia para retirada do prepúcio é chamada pelos médicos de postectomia, mas é conhecida pela maioria das pessoas como circuncisão. Esse nome tem suas raízes na religião judaica, em que todos os meninos são circuncidados no oitavo dia de vida. Os muçulmanos também praticam a circuncisão nos garotos com, no máximo, 12 anos de idade.

Mas existem outras razões para a prática da circuncisão. Segundo o urologista Antônio Otero Gil, todos os garotos nascem com o prepúcio aderido à glande (cabeça do pênis). "É só na puberdade que o prepúcio costuma se soltar completamente", explica o especialista. Acontece que, quando a cabeça do pênis não se expõe totalmente, a higiene fica mais difícil. Nesses casos, o acúmulo de secreção favorece o aparecimento de infecções. "Quando o menino tem muita infecções, nós indicamos a cirurgia", conclui.

Por fim, a outra razão para a retirada do prepúcio é quando o menino tem fimose.

Quais os problemas que um garoto com fimose enfrenta?

O urologista Antônio Otero Gil aponta algumas possíveis complicações para um garoto com fimose. "Em casos mais graves, o homem pode ter dificuldade em urinar e em manter o pênis ereto", afirma o médico. Entretanto, as infecções são os problemas mais comuns dos homens com fimose. "Como o prepúcio não se retrai, é muito difícil manter a higiene na glande. Dessa maneira, secreções que se acumulam facilitam a proliferação de bactérias", diz o especialista.

Dá para transar se tenho fimose?

Ninguém vai deixar de transar só porque tem fimose, mas as dificuldades podem ser um pouco maiores. "Alguns pacientes não reclamam e têm relações sem problemas", afirma o urologista Jorge Fragoso. "Mas, normalmente, manter uma relação sexual numa situação em que não se consegue expor a glande é mais complicado", acrescenta. É bom lembrar que em algumas casos, a fimose dificulta a ereção e o garoto pode sentir dor.

Se eu for circuncidado, a sensação da transa vai ser diferente?

É a mesma história da camisinha. Uns dizem que ela tira a sensibilidade do pênis. Outros não sentem qualquer mudança. "Cada cabeça sua sentença", diz o urologista Jorge Fragoso. "Eu fiz a cirurgia de retirada do prepúcio depois de adulto e nada mudou", afirma. O urologista Antônio Otero Gil concorda. "A pele fica um pouco mais grossa, mas a diferença de sensibilidade é imperceptível".

Qual o tamanho normal do pênis?

O tamanho do pênis é muito variável. Quando se está em fase de desenvolvimento, "ele" também pode estar crescendo. Não precisa ficar correndo atrás dele com uma régua para saber exatamente quantos centímetros tem. O pênis do brasileiro adulto tem em média entre 12 e 14 cm. O tamanho do pênis não está necessariamente ligado a maior prazer ou maior desconforto. Essas sensações estão muito mais relacionadas à cabeça e às emoções que rolam durante a transa.

É normal ter o pênis torto?

Ter o pênis torto é completamente normal. Os meninos têm pênis diferentes: ele pode ser curvado para baixo e para o lado esquerdo; alguns pênis são virados para cima, para a direita e outros ficam retos. Isso é supercomum, não representa nenhum problema e nem atrapalha na transa.

Qual o tamanho máximo do pênis para que a mulher não sinta desconforto?

Não existe um limite definido do tamanho de pênis que uma vagina possa "agüentar". A vagina é um órgão bastante elástico. Ou seja, durante a relação sexual, quando a mulher está excitada, a vagina pode ficar mais "longa" e mais "larga". Essa história se aplica tanto ao comprimento quanto ao diâmetro do pênis.

Para facilitar as coisas, durante as transas a vagina libera um líquido lubrificante que facilita a entrada e os movimentos do pênis. A maior parte dos desconfortos que a mulher sente durante uma relação sexual acontecem por "falhas" na distensão ou na lubrificação da vagina. Nesse campo, as emoções e as respostas do corpo estão profundamente ligadas.

As "falhas" acontecem quando a garota não está suficientemente excitada ou quando ela enfrenta "bloqueios" emocionais. O tamanho do pênis não está necessariamente ligado a maior prazer ou maior desconforto. Essas sensações estão muito mais relacionadas à cabeça e às emoções que rolam durante a transa.

É comum ter a cabeça do pênis muito sensível?

Há pessoas que têm uma "sensibilidade" aumentada na glande ("cabeça") do pênis. Essa é uma situação relativamente comum em garotos que não fizeram cirurgia de circuncisão - retirada de parte da pele (prepúcio) que recobre a "cabeça" do pênis. Não há nenhum problema nessa situação. A retirada de parte do prepúcio faz com que a pele que recobre a glande fique mais "grossa" e menos sensível. Isso acontece pela exposição permanente da glande a tecidos, água, pele, pêlos, etc..

O que são as espinhas que aparecem no pênis?

As espinhas, do mesmo modo que aparecem em outras partes do corpo, podem aparecer, de vez em quando, na região do pênis. É preciso ficar atento pois algumas lesões das doenças sexualmente transmissíveis (DST) podem parecer uma espinha. Se você já teve uma relação sexual sem proteção (camisinha), vale a pena consultar um dermatologista para saber exatamente o que são essas espinhas.

O que causam as verrugas no pênis?

Em geral, verrugas no pênis são provocadas por um vírus conhecido como HPV (vírus do papiloma humano), muito parecido com o vírus que provoca verrugas em outras partes do seu corpo. Porém, só um dermatologista poderá fazer um diagnóstico preciso.

O HPV é transmitido basicamente por meio do contato sexual. Aliás, ele é considerado hoje uma das principais causas de DSTs (doenças sexualmente transmissíveis).

Bolinhas na glande são normais?

Alguns garotos têm bolinhas em volta da glande (cabeça do pênis) que podem ser glândulas um pouco aumentadas ou um crescimento mais acentuado das células da pele (corona hirsuta). Essas alterações não trazem problemas e não há necessidade de tratamento. Não se pega isso de ninguém. São particularidades do corpo de cada um. Mas vale a pena consultar um dermatologista para ter certeza do que é.
É normal o pênis ficar muito pequeno quando está mole?

Não há relação entre o tamanho do pênis fora da ereção e a medida que ele alcança quando o homem fica excitado. Isso significa que tem muito cara com o pênis "pequeno e fino" que, na ereção, acaba ficando com o mesmo tamanho de pênis que outros homens que têm "mais volume". Depende muito da retração que os tecidos que formam o pênis têm em cada pessoa. Além disso, o tamanho do pênis varia em determinadas situações. Em dias mais frios ou quando o homem entra na água gelada, ele se retrai mais e acaba ficando menor. Com temperaturas mais altas, ele pode aumentar um pouco.
Para que serve o saco?

O saco escrotal é uma espécie de bolsa que abriga os dois testículos e algumas outras estruturas sexuais do homem. Ele tem a propriedade de ser retrátil, ou seja, pode se aproximar ou se afastar do corpo. Esse é um mecanismo de proteção para os espermatozóides (células reprodutivas masculinas produzidas pelos testículos), que devem ser mantidos em uma temperatura ideal, nem muito fria, nem tão quente como a do corpo (em média, 36,5 graus centígrados).

Assim, quando o corpo está muito quente, o saco escrotal tende a ficar mais afastado, baixando a temperatura dos espermatozóides. Quando o dia está frio, ele se aproxima mais do corpo, para aumentar a temperatura dos testículos. Aí o saco escrotal, fica mais arredondado e "cheio" - na verdade ele está mais contraído.

Esses mecanismos são controlados pelos músculos da região. Outra ocasião em que o saco escrotal fica mais arredondado é nos momentos próximos ao orgasmo, antes de o garoto ejacular.

Por que um testículo é fica mais baixo que o outro?

É absolutamente normal um testículo ser mais baixo do que outro. Quase todo homem tem essa diferença. Isso acontece pela forma como as veias que drenam (retiram) sangue dos testículos se ligam às veias maiores, que levam o sangue para ser oxigenado novamente no coração. Uma ligação menos "direta" dificulta um pouco a retirada de sangue, deixa um dos lados do escroto (saco) mais pesado e, como conseqüência, mais baixo.

É normal ter só um testículo?

Quem acha que só tem um testículo, deve procurar com urgência um urologista. É bem possível que os dois testículos existam, mas que um deles esteja "perdido" dentro da cavidade abdominal (barriga). E isso não é nada bom. Um monte de problemas podem aparecer. O médico deve solicitar um exame de ultra-som para "procurar" o outro testículo e, se necessário, fazer uma cirurgia. Quem realmente tem apenas um testículo não precisa se preocupar, pois pode produzir espermatozóides suficientes para gerar um filho.

 





 


© inaugurado em 15/02/2000. Todos os direitos reservados. - Itajai On Line