arraste para o lado para ver mais fotos
Antonio Lopes - Crônica 387 - Eu não consigo

Diante das adversidades, algumas pessoas se encontram em estado de fracasso e não entendem porque não conseguem sair para uma situação melhor. Lamentar parece ser mais fácil. Dizer que não têm sorte torna-se rotina. No interior da mente pode haver um desejo de fazer alguma coisa a seu favor, mas pensamentos negativos, que foram incutidos desde a mais tenra infância, se encontram no inconsciente, quando desde criança lhe diziam: “Você não vai conseguir ser nada na vida”, “Isto não é para você”, “Nasceu pobre tem que morrer pobre”, “Você tem que trabalhar e ajudar a sua família”, “Deixa de sonhar e encare a realidade”, “Você vive no mundo da lua”, “É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no céu”, “Quem nasceu para lagartixa jamais chegará a jacaré”, “Pau que nasce torto não tem jeito, morre torto”, etc...

Assim, quando se propõem a aprender uma profissão mais rentável que possa trazer satisfação e realizações, encontram dificuldades imensas e dizem para si – “Eu não consigo!” Esse ‘eu não consigo’ faz com que que o indivíduo passe a vida tentando e nada alcance. Essa força do pensamento negativo, implantada na mente humana, cria enormes dificuldades com justificativas para aliviar o sentimento de fracasso e de culpa, por não obter sucesso em qualquer atividade.

Quando se diz: “Vou tentar”, não irá conseguir. É necessário exercitar o pensamento com: “Eu vou fazer!”, “Eu vou conseguir!”... Anote na tela do computador: “Eu conseguirei”. Coloque cartazes na sua frente, onde precisa olhar todos os dias: no espelho, na porta do guarda-roupa, no painel do carro, no banheiro, na porta da geladeira e, assim, procurar mentalizar. Quem tenta já está dizendo que não irá fazer acontecer e ficará somente nas tentativas. Nas primeiras dificuldades desiste e fracassa. Aí vem a compensação do pensamento: – “É, eu não nasci para isso”.

É necessário matar mentalmente as pessoas que nos disseram que não iremos conseguir, mesmo que já tenham morrido, matar do pensamento para se libertar e dizer – “Vou conseguir a qualquer custo, não importa quanto esforço será necessário”, “Vou fazer, mesmo que ainda não saiba como”. É preciso vencer os medos e entender que só aprendemos se enfrentarmos novas situações. Falar ‘eu não sei’ deve ser transformado em oportunidade para buscar o saber. Se continuar a fazer as mesmas coisas que sempre fez, os resultados serão os mesmos.

Sair da zona de conforto e das lamentações é buscar novas oportunidades, para as quais precisamos agradecer e abraçar com toda a energia da alma e acreditar que – “Eu conseguirei”. Dessa forma a pessoa começa a desenvolver competência e não fica atrelada à sorte. Acredite que você pode fazer o que quiser e merece ser recompensado pelo seu desenvolvimento pessoal e profissional. É preciso se livrar das âncoras que não nos permitem navegar. Na parábola para cozinhar um caranguejo, é necessário colocar na panela vários outros, pois quando a água começa a esquentar o caranguejo tenta subir para a borda e pular fora, mas os outros se agarram nas pernas dele e assim ele vai para o fundo, sendo cozido com os demais. Para sair para a vida é necessário se livrar dos que nos puxam para o fundo. “Eu não consigo” precisa ser deletado do seu HD.



Crônica anterior        /         Página inicial         /        Crônica seguinte




Colunistas 4 meses